Como saber se a renda variável é pra mim?

13 de setembro | 2021

O conhecimento e a busca incessante por ele é o que vai te tornar um bom investidor, então, se você clicou neste texto, mesmo que por curiosidade, tenho uma notícia pra te dar: a renda variável pode ser sim pra você.

 

Por Me Poupe! 

Se tem uma coisa que tenho ouvido desde que o professor Mira chegou para o time mais rico do Brasil, esta coisa é “Me Poupe! eu quero muito entrar na renda variável, mas será que ela é mesmo pra mim?”

 

Eu sei (sei mesmo) que te fizeram acreditar, por muito tempo, que estar na bolsa de valores é só pra quem tem muito dinheiro, mas tô aqui pra te contar que isso só aconteceu porque, no fundo, quem te falou isso tava mesmo, é querendo te deixar pobre. 

 

A primeira coisa que você deve identificar pra saber se a renda variável faz sentido é o seu perfil de investidor. Se você já abriu conta em uma corretora de valores deve ter ouvido falar sobre suitability, que nada mais é do que o mapa astral do universo dos investimentos. 

“Socorro, Me Poupe!, mas eu não entendo nada disso!” Calma, eu vou explicar.

Você pode, por exemplo, ter zero tendência a correr riscos e, por isso, ser Conservador. Pode, tolerar riscos de perder dinheiro pra ter uma rentabilidade mais elevada, ao mesmo tempo, em que diversifica seus investimentos pra reduzir danos, se aproximando do perfil mais Arrojado. Ou, ficar no meio do caminho, até topando alguns riscos, desde que não sejam muito grandes, sendo uma pessoa Moderada. 

 

Sendo assim, podemos basicamente dizer que perfil é sobre como você lida (ou não) com riscos e, no fundo, o quanto está disposto a aprender.

 

Chegou até aqui e entendeu que “Me Poupe! não suportaria perder R$1,00”, sinto lhe dizer que não, Me Poupeira! e Me Poupeiro!, a renda variável, neste momento, não é pra você. Mas, disse neste momento, pois tudo é mutável. Hoje, você não está disposto, mas daqui um tempo, depois de adquirir ainda mais conhecimento, quem sabe isso não pode mudar?

 

Reserva de emergência?

 

Se agora, você entendeu que está disposto a arriscar, mesmo que pouco, ainda assim PODE SER que a renda variável seja pra você. “Mas Me Poupe! por que PODE ser?” Porque eu ainda não terminei. A segunda pergunta que você deve se fazer é “Minha reserva de emergência tá feita?” Se não, minha pupila e meu pupilo, vou te pedir pra voltar três casas e entender, primeiro, o que isso significa e o que você precisa fazer.

 

Como fazer reserva de emergência e onde investir?

 

MAS, se a lição de casa tá feita (AÍ QUE ORGULHO!) e você já está com a sua reserva em algum investimento de liquidez diária, pode sim, começar a pensar.

 

É metinha, meta ou metona? 

 

Como sempre elas, as metas. Nunca, pro seu bem, mexa no seu dinheiro sem ter um objetivo pra cada centavo dele. O tipo de meta vai te fazer entender, ainda mais, se esse tipo de investimento é mesmo pra você. 

 

Se você gostaria de ouvir que estar na renda variável é uma promessa de ganho fácil e rápido, vou ter que te decepcionar. Com ela, é possível ganhar mais dinheiro sim, mas com cautela e paciência. Não queira investir em renda variável se sua meta for de curto prazo, ok? Assim, você vai só vai ficar mais propício a perder dinheiro.

 

“Mas Me Poupe! por que eu vou perder dinheiro se tem gente ganhando milhões?”

 

É agora que eu entro com o próximo passo. A renda variável, como o nome já diz, é variável e isso, porque ela depende de alguns fatores, como o mercado, decisões políticas, desempenho das empresas, que variam no decorrer do tempo – tá aí o nome, entendeu?

 

 

Para ficar sempre antenado, o mais indicado é acompanhar análises e previsões, feitas por economistas, além da variação de taxas como a Selic, inflação e muitas outras. Pra sua sorte, toda semana o Mira faz um resumo do Boletim Focus, por aqui e também, no seu perfil do Instagram (não tá seguindo ainda por quê?).

Depois de ler tudo isso e tirar uma conclusão, não, não é pra sair daqui correndo e aí, pegar todo seu dinheiro e colocar em ações só porque olhou e viu que estavam baratas. Se te ajudei a comprovar que esta é uma tendência pra você, vai ser necessário (ADIVINHA?) mais estudo! Pois, o conhecimento ainda é o melhor investimento que podemos fazer. 

 

Existem, por aí, uma infinidade de opções de investimento em renda variável, como Ações, Fundos Imobiliários, ETFs e várias mais. E cada uma delas, pode ser a mais indicada para o que você precisa. 

 

No canal, eu tenho VÁRIOS vídeos que vão te ajudar (e muito) a sair do lugar. Faz um Nathflix!  

 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a deixar seu comentário