Os primeiros meses do ano sempre chegam trazendo despesas que vão além do habitual. Por isso, quem não tem um planejamento financeiro eficiente pode ter dificuldades em enfrentar o período e acabar se endividando. Pra que isso não aconteça com você, temos 5 estratégias infalíveis pra você se planejar e começar o ano com tranquilidade.

Por Me Poupe!

O-LÁ, Me Poupeira! e Me Poupeiro!

Você mal terminou de comemorar a entrada do novo ano e já está preocupada ou preocupado com os boletos que estão por vir? AI-QUE-SUFOCO!

Janeiro é conhecido por ser um mês com gastos maiores, principalmente pra quem tem que lidar com IPVA, IPTU, matrícula de escola/faculdade e lista de material, renovação de seguros e todos os respingos herdados das festas de fim de ano. 

Tantas contas extras podem dar um certo desespero – ainda mais se você não se programou e pensou nesses gastos com antecedência. 

E olha o Caminhão dos Dados passando em sua tela! Segundo o SPC Brasil, apenas 1 a cada 10 brasileiros se prepara pra lidar com os temidos boletos de início de ano! 

Mas calma lá… se você faz parte da grande maioria dos desprevenidos, a gente tá aqui pra te mostrar que ainda dá tempo de planejar o seu mês e começar o ano no azul e sem dívidas!

#PARATODOSVEREM: Nath Arcuri gesticulando e dizendo “deixa eu te explicar”.

Antes de mais nada: fique por dentro dos impostos

Só pra lembrar, IPVA é a sigla de Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores, sendo assim, todo mundo que tem carro, moto, camionete, caminhão ou semelhantes, precisa pagar esse imposto. Quanto maior for o valor do veículo, mais caro será o IPVA. Ah, não esquece que aqui também entra a taxa de licenciamento.

Já o IPTU é a sigla de Imposto Predial Territorial Urbano, ou seja, todas e todos que são proprietários de imóveis precisam pagar esse imposto. Além disso, muitas pessoas que moram de aluguel ficam responsáveis por pagar o IPTU dos imóveis que ocupam, o que vai depender do contrato assinado entre locador e locatário.

Tem filhos ou está fazendo uma formação educacional? Janeiro é sempre o mês de renovar matrícula, acertar taxas de manutenção e entender os materiais e insumos necessários pro retorno das aulas. 

E olha só, mesmo quem não tem filhos, casa e carro, e não precisa pagar as contas que listamos acima, fazer um planejamento financeiro é indispensável pra engatar o ano com segurança e pensamento de riqueza. Até porque, todo mundo tem contas, necessidades e desejos que merecem ser olhados e programados.

Agora, a pergunta que não quer calar: como dar conta desses gastos? 

#1 O PODER DA PRIORIZAÇÃO

Pra quem não se organizou com antecedência e virou o ano sem o dinheiro reservado para esses gastos extras, é hora de avaliar quais deles são prioritários e valem mais a pena pagar de uma vez só e quais podem ser parceladas. 

O parcelamento não precisa ser visto como um vilão, mas mesmo assim, não se esqueça nunca de perguntar a si mesmo: vou conseguir honrar com essas prestações já que, ao longo do ano, outros gastos começam a aparecer e se acumular com os existentes? 

#2 APOSTE NOS DESCONTOS À VISTA

Você já sabe quais são as contas que vão lhe tomar o dinheiro no início do ano. Então, por que não se adiantar e descobrir os descontos que elas terão caso você faça o pagamento à vista? Normalmente, eles giram em torno de 5% a 10%, o que faz uma boa diferença no somatório total.

Por isso, se você pode fazer esses pagamentos à vista e economizar dinheiro com isso, não pense duas vezes!

#3 USE O SEU 13º SALÁRIO

Se você não tem dívidas e nenhum destino urgente para o seu décimo terceiro, chegou o momento de usá-lo. Você que já evitou gastá-lo com presentes de Natal, com comprinhas supérfluas e com viagens na virada do ano, então agora pode dar um bom destino ao dinheiro do benefício. 

Aproveite esse dinheiro que não faz parte do orçamento mensal para se livrar desses gastos extras logo que o ano começar. O seu bolso vai agradecer ao longo dos outros 11 meses seguintes, acredite.

#4 SUSPENDA GASTOS DESNECESSÁRIOS

Alô, alô, consumistas de plantão! 

Quem é que não resiste a uma boa promoção? Janeiro já é conhecido pelas “queimas de estoque” pós-Natal. Alguns descontos podem ser bem atraentes mesmo, mas procure pensar duas vezes antes de entrar na loja e comprar: você precisa mesmo daquela TV maior? Ou daquele tênis novo? 

Tudo que não é de extrema urgência pode e deve ser adiado. Pense que esta época do ano é de controle e economia e não de acúmulo de despesas.

#5 PESQUISE HOJE E SEMPRE, AMÉM!

“Eu já falei, vou repetir. Eu já falei, vou repetir!”

Mesmo com o controle alguns gastos são inevitáveis. Portanto, nunca deixe de pesquisar e comparar preços. Mesmo com bons descontos, converse com quem está te oferecendo o serviço/produto e procure melhorar ainda mais as condições de pagamento. 

Quem tem filhos em idade escolar, por exemplo, sabe o sufoco de renovar os materiais todo começo de ano. Mas basta se atentar a alguns detalhes pra economizar muito.

  • Analise os materiais escolares que a sua filha ou filho já tem. Se eles estiverem em boas condições, a criança pode usá-los novamente;
  • Vale muito a pena fazer pesquisas de preço em lojas físicas e virtuais, pois é possível encontrar preços muito variados em diferentes estabelecimentos;
  • Entre em contato com mães e pais de crianças do ano seguinte e veja se consegue livros e uniformes em boas condições (dá até pra tomar frente de um grupo de doação, troca e venda de materiais, ein).

Pra facilitar esse planejamento e implementação de todas essas estratégias, você pode usar o nosso Me Pouplanner, desenvolvido especialmente pra guiar suas finanças e te ajudar a ter um 2022 cheio de riqueza! Corre aqui e garanta seu presente gratuito!