Por que tudo está tão caro?

20 de julho | 2021

Gás de cozinha, gasolina e álcool. Alimentos como carne, queijo, ovo, óleo e arroz. Conta de luz e o aluguel. Afinal, por que tudo está tão caro? Saiba o que está impactando no preço das coisas e aprenda como economizar energia, gasolina e dinheiro. 

Por Me Poupe!

 

Do gás de cozinha ao combustível do carro, passando por itens de geladeira e despensa, como carne, queijo, ovo, óleo e arroz, sem falar na energia elétrica e no aluguel. O que esses itens têm em comum, Me Poupeira! e Me Poupeiro!? Se você respondeu que “todos estão pela hora da morte!”, você acertou, infelizmente. Mas por que o preço das coisas aumentou tanto, e o salário mínimo ou o dinheiro que você ganha não cresceu na mesma velocidade? A titia Me Poupe! vai explicar, então… PRESTA ATENÇÃO!

 

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri está sentada em um sofá com manta de listras brancas e pretas. Ao fundo, elementos adesivos brancos e pretos que remetem ao universo financeiro. Com as mãos levantadas, Nath diz “PRESTA ATENÇÃO”

 

Poder de compra

Há vários motivos que explicam o aumento dos preços, e eu vou te ajudar a entender o que está acontecendo explicando alguns deles. O primeiro é o poder de compra, que é a capacidade de adquirir bens, produtos e serviços com determinada quantidade de dinheiro. Ou seja: o quanto dá pra fazer com o mesmo dinheiro ao longo do tempo. Se quiser fazer uma simulação, vamos lá: com R$ 100 quanto dava pra comprar de coisas no ano 2000 e quanto dá pra comprar hoje? EITA! O carrinho de compras chega cresceu, né?

 

Você já ouviu falar no Índice Big Mac?

“Ah, Me Poupe!, eu sei, é um lanche do McDonald’s”! 

Sim, mas não é sobre como é feito o sanduíche que eu quero falar, mas sobre o quanto ele custa! Essa é uma das coisas que vai ajudar você a entender o que acontece com a nossa economia, e o que faz com que o preço das coisas dispare. O Índice Big Mac é um indicador que foi criado pela revista The Economist, usado para contextualizar o poder de compra de determinados lugares a partir do preço do Big Mac.

Vou te dar um exemplo: quanto uma pessoa paga pra comprar esse sanduíche nos EUA e quanto ela paga por um no Brasil? Essa variação de preço ajuda a medir algumas coisas, como a taxa de câmbio, o preço do lanche nas moedas locais, para finalmente saber o poder de compra nos países e o quanto as moedas se valorizaram ou se desvalorizaram. No ano passado, o The Economist fez uma simulação entre EUA e Brasil, e o índice apontou que entre 2000 e 2020, o real havia se desvalorizado 31,5%.

 

Nathalia Arcuri surpresa, exclamando "o quê?!"

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri surpresa, exclamando “o quê?!”

 

Basicamente, o que era caro, proporcionalmente ficou mais caro! Pois o poder de compra está diretamente ligado à inflação, que mede a variação dos preços e o impacto no custo de vida da população; e essa danada vem aumentando, mês a mês, com projeções de que vai continuar subindo. O professor Mira explica isso nas análises que ele faz toda semana sobre as projeções do Boletim Focus, do Banco Central. Loucura, né? E tá sentada: se você não cuidar do seu dinheiro, ninguém vai cuidar. Então, trate de proteger o seu poder de compra!

“O que eu preciso fazer para cuidar do meu poder de compra, Me Poupe!”? 

 

Como proteger o seu poder de compra

1. Escolher melhor o que coloca no carrinho do supermercado

Além de fazer pesquisa de preços em vários mercados, optar por fazer compras em supermercados atacadistas ou apostar nas plataformas digitais de vendas online, dá pra fazer com que as suas compras durem mais, sabia? Eu pedi pra Nath Arcuri separar algumas dicas e estratégias ótimas pra hora de comprar e pra fazer sua feira render mais.

 

2. Investimentos indexados ao dólar ou atrelados à inflação

Como esses índices andam com projeções de que não devem baixar tanto, nem tão cedo, fazer investimentos em lugares que estejam indexados ao dólar ou atrelados à inflação pode ser uma boa. Algumas possibilidades são as debêntures ou o Tesouro IPCA, que pagam taxas pré-fixadas mais a variação da inflação. Aqui eu falei tudo sobre investimentos no Tesouro.



Por que a luz está tão cara?

Esse é outro ponto que você deve ficar atento, pois também impacta em outros custos. Quer ver? O aumento na conta de energia está relacionado ao uso das termelétricas, pois com os reservatórios de água muito baixos, a produção hidroelétrica não atende às necessidades do país, ficando sobrecarregada. E é justamente esse uso das termelétricas que faz com que o preço da energia elétrica varie tanto. “E o que isso tem a ver com os outros custos, Me Poupe!?” Muita coisa! E o motivo é simples: a energia elétrica está presente na cadeia de produção de todos os produtos e afeta a inflação de maneira geral! Aqui eu expliquei sobre o último aumento de bandeira tarifária anunciado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

E por que subiu a gasolina?

Antes de explicar alguns motivos que fazem com que o preço dos combustíveis suba até doer no seu bolso, vou trazer aqui alguns números pra você ter uma noção. Os últimos dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que a alta no litro da gasolina já chega a 25,84%, no período acumulado de janeiro até julho desse ano; o reajuste dos preços do diesel subiu 22,83% e o do etanol, 32,69%.

“Me Poupe!, do céu! Mas o que é isso? Por quê?” 

Bom, essa alta não é sentida só no Brasil, tá? Com o distanciamento social imposto pela pandemia, no ano passado, a demanda por petróleo caiu em todo o mundo, e muitos países tinham grandes estoques (e com baixa procura, os preços foram lá pra baixo). Mas agora, mais de um ano depois, a situação está justamente ao contrário: a demanda subiu, com as pessoas voltando às suas rotinas de antes, e os saltos no preço são evidentes. E segundo a Agência Internacional de Energia, essa demanda mundial por petróleo vai superar o nível pré-pandemia no fim de 2022. Ou seja: com restrições na produção de petróleo, entressafra do etanol e o real desvalorizado frente ao dólar, o resultado é um combustível encarecido para o cidadão por um bom tempo, infelizmente.

 

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri, em preto e branco, com expressão preocupada dizendo “quem tá chocada sou eu”

 

E como economizar energia, gasolina e dinheiro?

Economizar sempre que possível já é uma dica que eu te dou sempre e isso acontece por alguns motivos: seja pra fazer sua reserva de emergência, seja pra poupar dinheiro e começar a investir, pra realizar grandes sonhos. Mas diante de um momento como este que estamos atravessando, economizar se torna uma necessidade maior ainda. Então, se você anda tomando sustos toda vez que vai ao supermercado, para no posto de gasolina pra abastecer o carro e pede pra chorar, e quando chegam as contas de luz e gás falta morrer do coração, calma que dá pra se prevenir. Separei essas dicas práticas pra você fazer mais com menos dinheiro e ao mesmo tempo se conscientizar sobre o que está acontecendo.

#PRATODOSVEREM: Nath Arcuri dizendo “Quem avisa amigo é”

Siga essas dicas:

Reduzir o uso de energia elétrica (tirar da tomada os produtos que não estão sendo utilizados, apagar luz dos cômodos vazios, trocar de chuveiro, consumir água de forma consciente, diminuindo o tempo no banho, por exemplo).

Usar menos o carro, pesquisar preços de gasolina e álcool, cuidar da manutenção do carro (algumas medidas como calibrar os pneus com frequência ajuda a poupar combustível). Se você quiser avaliar outras possibilidades, aqui a Nath Arcuri fala sobre as escolhas: comprar, alugar ou ficar sem carro? Vale a pena analisar direitinho, hein?

Adotar estratégias de economia doméstica (uso inteligente dos eletrodomésticos, utilizar o gás de cozinha de maneira prática, evitar desperdício de alimentos, pesquisar e adotar compras em supermercados atacadistas ou apostar nas plataformas digitais de vendas online).

Rever as assinaturas mensais (TV por assinatura, telefone, internet, plataformas de streaming).

Renegociar contratos (escola dos filhos, faculdade, aluguel, seguro do carro, plano de saúde, juros de financiamentos e até mesmo de empréstimos, rever cartas de consórcios).

Rever hábitos de consumo e gastos que talvez sejam desnecessários.

Ficar atento a benefícios como milhas, pontos, cashback, fazendo suas compras se transformarem em dinheiro.

Investir em conhecimento! Se aproximar cada vez mais do universo das finanças, estudar e se atualizar constantemente, para conquistar conhecimento suficiente e saber fazer as escolhas adequadas e ter autonomia sobre o seu dinheiro.

Neste Poupecast, a Nath Arcuri também explica por que tudo está tão caro, fala sobre o aumento do preço do frango e sobre as commodities, e como os insumos impactam no valor das mercadorias em geral.

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Alexander Hernández Velásquez 25 de July | 2021

🤔Você tem razão 👍 esse negócio aí do aumento do preço dos produtos e Serviços Vários é tipo assim... Uma porrada mais pra o bolso do povo né? e o povo somos a maior parte da população total do qualquer país não é mesmo?