5 aprendizados de ex-alunas da Jornada pra você levar pra SUA vida

05 de novembro | 2020

Se eu tivesse só uma palavra pra resumir o post de hoje, seria ORGULHO. Afinal, ele traz cinco coisas que duas ex-jornadeiras aprenderam na Jornada, e toparam dividir com todas as Me Poupeiras e Me Poupeiros!  

Por Me Poupe!

Acho que a única coisa que me deixa mais feliz que ver jornadeiros chegando no topo da montanha da Independência Financeira é vê-los voltar pra levar mais gente até lá. E foi isso que a Karine Oliveira e a Patrícia Juruna toparam fazer!

Elas participaram do PoupeCast contando como era a vida financeira delas antes e como ficou depois de terminar a Jornada 5. E, aqui, eu separei 5 dos principais aprendizados que elas dividiram!

Então, pega seu caderninho da riqueza e já anota as dicas! E, no fim, eu vou deixar o episódio completo do PoupeCast pra você ouvir na íntegra a conversa delas com a Nath, que, além de rainha das finanças, é a sua professora na Jornada.

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri está sentada em um sofá com manta de listras brancas e pretas. Ao fundo, elementos adesivos brancos e pretos que remetem ao universo financeiro. Com as mãos levantadas, Nath diz “PRESTA ATENÇÃO”

1. Você não sabe que não sabe

Existem quatro estágios de competência: a incompetência inconsciente, quando você não sabe que não sabe de algo; a incompetência consciente, que é você saber que não sabe; a competência consciente, quando você sabe que sabe; e a competência inconsciente, que é quando saber dessa coisa se torna automático pra você!

A Patrícia contou pra Nath que, quando começou a Jornada, estava no primeiro estágio em relação ao próprio dinheiro. É aí que a maioria dos alunos começa.

Aliás, ela tinha certeza que estava arrasando, porque não tinha dívidas, não parcelava nada e só comparava algo quando tinha dinheiro pra pagar à vista. “Só que não era só isso. Com a Jornada, descobri que as coisas não estavam tão bem como poderiam estar. Também descobri vários erros que eu cometia!”, contou.

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri olhando um celular e, em seguida, fazendo cara de chocada, tampando a boca com uma mão

Ou seja, se você acha que precisa chegar na Jornada sabendo alguma coisa, saiba que NÃO precisa! Afinal, o objetivo é justamente que você aprenda, né?!

Mas, ainda assim, eu preciso te alertar que a Jornada não é pra todo mundo.

2. Faça por você

Se você acha que só quem nasceu rico pode ser rico, que não dá pra investir com pouco dinheiro e que existe um jeito milagroso pra você chegar no topo dessa montanha… A Jornada definitivamente não é pra você.

Na Jornada, você terá todas as ferramentas e ensinamentos que precisa pra tomar as rédeas da sua vida financeira serão dadas na Jornada. Mas, se você não pegar essas rédeas, ninguém fará isso por você.

A própria Patrícia passou por isso: ela não começou botando muita fé que ia dar certo! Mas topou o desafio de seguir a metodologia criada pela Nath, e de assumir a responsabilidade pelo próprio crescimento: “tem que sair da zona de conforto. Se não sai, não adianta. Pode ter todos os especialistas do mundo ali contigo ensinando e dando o tempo deles, mas você não vai conseguir sair do lugar se não fizer isso pra si“, conclui.

Então, o aprendizado é: seja o que for, faça por você! Se dedique e puxe pra você a responsabilidade de aprender algo novo. “Se você consegue ter acesso à educação financeira e a conhecimento de qualidade, pode fazer essa virada com muito foco e determinação”, reflete Patrícia.

Nathalia Arcuri levantando as mãos e dizendo "é justo"

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri levantando as mãos e dizendo “é justo”

3. Nada é impossível

Ao entrar de cabeça na Jornada, a Karine também viu sua forma de lidar com o dinheiro mudar radicalmente. Mudou tanto que, hoje, ela já está no estágio da competência inconsciente em alguns momentos! Isto é, ela já nem pensa sobre a coisa: só sabe, e, por isso, age automaticamente!

Antes, ela acreditava que tinha coisas que não eram pra ela, que eram caras demais, que ela nunca poderia ter. Depois, aprendeu que, com metas, planejamento e estratégia, ela pode realizar qualquer sonho.

Duvida?!

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri apontando para a tela com a Margarete e falando “duvida?”

Ela mesma conta: “Vi o anúncio de uma casa de dois andares, mobiliada, com piscina aquecida… E fui olhar o preço: R$ 560 mil. A primeira coisa que pensei foi ‘o que eu preciso fazer pra ter 560 mil reais licitamente??’ Quanto tenho que aportar por mês, em que investimento, por quanto tempo?'”.

AH, QUE ORGULHO DA MINHA JORNADEIRA! E ela ainda continua: “Foi a primeira coisa que pensei, e não ‘não é pra mim, eu ganho 3.800 reais por mês e isso é muito’… Eu não me limito mais”.

Viu só, Me Poupeira e Me Poupeiro?! NADA é impossível pra quem tem metas, planejamento e foco!

4. Controle total

E sabe o que é ESSENCIAL pra qualquer planejamento? Controle e acompanhamento. Mas bem de perto mesmo!

Me Poupe na Web · TRAILER: AUTOCONSCIÊNCIA FINANCEIRA: Se você não prestar atenção, o seu dinheiro já era!

Pra ouvir esse episódio completo do PoupeCast, clique aqui!

Sabe a faxina semanal que você faz na sua casa, pra limpar aquela poeira que acumula durante a semana nos cantos ou desengordurar o fogão? Dá pra fazer a mesma coisa com o seu dinheiro. Assim, você garante que não tem nenhuma sujeirinha passando batida, que vai acumular e virar um bololô de problema lá na frente.

É a faxina financeira, que Me Poupeira e Me Poupeiro raiz já conhece! Se você tá chegando agora, pode dar play aí no vídeo que eu tenho certeza que tem limpeza pra fazer no seu extrato:

A jornadeira Patrícia contou que faz a faxina financeira to-da se-ma-na!

Isso mesmo: todo domingo, ela avalia os dinheiros da família pra garantir que tá tudo sob controle. Além disso, ela também contou que, assim que o seu salário e o do marido cai, a primeira coisa que eles fazem é separar 40% pra investir.

Por enquanto, a meta é completar a reserva de emergência até março de 2021. E é uma meta audaciosa, porque eles querem investir o suficiente para UM ANO de vida com um custo acima do que têm hoje, para viverem com mais tranquilidade ainda!

5. Qualidade de vida não é gastar mais

No entanto, uma coisa que as duas jornadeiras concordam é que gastar mais dinheiro não é sinônimo de viver melhor. Isto é, sem controle financeiro, não importa o salário: você nunca vai estar satisfeita e satisfeito com o que tem. Afinal, não faz sentido querer uma vida melhor se você nem sabe o que tem hoje!

A Karine é prova disso. Hoje, ela ganha menos do que ganhava antes de começar a Jornada, mas afirma que tem uma vida financeira com muito mais qualidade por ter aprendido a gerenciar melhor o dinheiro.

Já a Patrícia precisou mudar a mentalidade num grau bem profundo: ela nem acreditava que podia guardar e investir tanto dinheiro antes de gastar, por já ter vivido um período de dificuldades financeiras. “Se eu tivesse educação financeira antes, tinha feito muito mais coisas quando tive um salário maior”, afirma. “Afinal, quanto mais você ganha, mais você gasta se não tiver um bom planejamento”.

Nathalia Arcuri tocando na cabeça, com cara de "entendeu?"

PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri tocando na cabeça, com cara de “entendeu?”

E você, também já teve um aprendizado incrível com a Me Poupe! e quer dividir com o mundo? EU QUERO SABER! Então, clica aqui e me conta!

Antes de ir embora, preciso te dar um recado importante: a sexta turma da Jornada já tá com mais da metade das vagas preenchidas! Ainda dá tempo de você começar 2021 com uma virada financeira na sua vida. Mas eu recomendo que você corra pra garantir:

Ah! Você já tava achando que eu tinha esquecido da promessa lá do começo do post, né?! Como se eu pudesse esquecer uma coisa dessas!!

Tá aqui o episódio que a Karine e a Patrícia participaram – é só dar o play:

Até a próxima, e lembre-se: começar o ano novo com uma vida financeira nova só depende de você!

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marcia B. 11 de November | 2020

Conheci a Nath e o Me poupe na Pandemia, em março, e eu estava totalmente falida. Fiquei com meu marido e dois filhos sem ter onde morar, e ele ficou em outro país, à espera de um possível auxílio do governo enquanto eu voltei ao Brasil e fiquei com meus dois filhos num quarto na casa da minha mãe. Primeiro pensei em me jogar da cobertura onde ela mora, pois além de ela me criticar, culpar e fazer as piores previsões sobre a minha vida, disse que nunca mais iria me ajudar financeiramente porque já previa que teria de ficar com meu filho adolescente enquanto eu me reorganizasse. Resolvi voltar pra Portugal em junho e retomar meus planos e enquanto fiquei na casa de minha mãe, maratonei o Nathflix. Daí moramos na casa de 4 pessoas estranhas, em um quarto e passamos por todo tipo de humilhação. Eu com duas faculdades, pós graduação, ex apresentadora de telejornal, ex locutora de rádio, ex garota propaganda de um banco, totalmente falida, sem nenhuma perspectiva, cheia de dívidas no Brasil e já algumas em Portugal, ainda que não tivéssemos nem cartão de crédito, pois, precisamos tomar emprestado de familiares para sobreviver já que não tínhamos reserva de emergência. Foi quando resolvemos voltar, porque não tinha mais mesmo nenhuma saída, e ao chegar no Brasi recebemos proposta para fazer um trabalho temporário de dois meses mas recebendo um valor razoável. Ao receber meu primeiro pagamento eu entrei no site da Serasa e contactei as empresas para as quais devia e negociei. Consegui quitar minhas dividas que eu temia até olhar. Depois investi um modesto valor em CDB, Tesouro, ações (uma mini carteira) e gerei mais renda extra pra conseguir alugar um apartamento pois ainda estava abrigada na casa de minha cunhada. Ao receber o segundo pagamento, a quantia que eu ia investir, paguei o curso da Nath, as despesas da mudança, e comecei a fazer a minha reserva de emergência. Hoje estou concluindo o primeiro módulo da JD6 e vou aguardar 14 dias ansiosamente pela live com minha professora e pela prova. Sequer tenho um computador. Estou mudando todos os hábitos, enxugando as contas, lendo e fazendo outros cursos paralelos gratuitos para ampliar meus conhecimentos e combina-los para ter um rendimento melhor no curso. Ainda preciso aprender a definir metas, usar as habilidades e ferramentas para gerar renda extra, calcular os valores para as metas ei aposentadoria, mas eu estou confiante de que nunca mais eu vou me deixar colocar na situação em que estive. Obrigada Nath.