Com o isolamento social, muita gente tem passado mais tempo em casa, usando o computador. Ainda mais se for um notebook, que você levar da mesa pra sala, da sala pro quarto, do quarto pro banheiro… Por isso, hoje, na minha coluna Tech Dicas, vou contar 4 hábitos que você talvez tenha com seu notebook e que podem te trazer prejuízo – e dor de cabeça.

Por Fernando Jobs

1. Usar o notebook em cima da cama

Você já usou o seu notebook pra ver séries antes de dormir? Se sim, provavelmente o deixou apoiado direto na cama, né?

Não sei se você já viu seu notebook por baixo, mas, se fizer isso, vai ver que ele tem vários buraquinhos. Esses buracos existem pra resfriar o seu computador: o cooler, que é um ventiladorzinho, manda o ar quente de dentro pra fora por meio deles.

Mas, se você deixa o computador em cima da cama, esses buracos ficam totalmente fechados e essa troca não acontece. Ou seja, o cooler precisa trabalhar muito mais pra conseguir resfriar, o que pode fazer com que ele estrague. E, pra tocar o cooler, o gasto que você vai ter é de uns 250 reais!

Nathalia Arcuri fazendo cara de susto

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri fazendo cara de susto

Mas pode ser ainda pior. Já aconteceu de você notar um barulho muito alto, como se seu notebook estivesse prestes a levantar voo, e ele do nada desligar? Se sim, é porque ele está superaquecendo. E, pra evitar que seja danificado, ele desliga.

“Então, é só esperar ele esfriar e ligar de novo, Jobs?”

Sim. E não!

Se você ligar o computador imediatamente, sem esperar que ele resfrie, você com certeza vai danificar as peças internas, como o processador ou a placa-mãe. E, aí, o gasto pra arrumar pode chegar a cerca de 900 reais!

Não faz a menor ideia do que é um processador e pra que ele serve? No último Poupetech, lá no canal Me Poupe!, eu expliquei um pouco sobre eles e como são importantes na hora de comprar um computador novo:

Mas, voltando a falar do notebook na cama, a melhor forma de evitar superaquecimento é não tampar essa ventilação! Uma forma de fazer isso é deixar o notebook sempre em cima de uma superfície rígida, mesmo quando quiser utilizá-lo na cama, como uma placa de MDF ou um caderno de capa dura.

2. Usar o carregador que não é o original no notebook

Já falei disso aqui no blog Me Poupe!, mas vou repetir: usar um carregador paralelo, ou seja, que não é original, pode ser muito perigoso!

Isso não vale só pra celular, mas pra notebook também. É bem comum emprestar o carregador de um amigo, por exemplo, e só verificar se o pininho do carregador encaixa no computador. Se encaixou, “é compatível”. ERRADO!

Pra um carregador ser compatível com o seu notebook, você precisa olhar a voltagem, a amperagem e a potência.

Nathalia Arcuri surpresa, exclamando "o quê?!"

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri surpresa, exclamando “o quê?!”

“QUÊ? Como eu vou saber disso, Jobs?!”

Normalmente, tem uma etiqueta embaixo do seu notebook com essas informações. Além disso, você pode encontrar no manual de instruções ou no site da fabricante.

E o que pode acontecer se você não usar um carregador original, ou compatível com o seu notebook? Na “melhor” das hipóteses, o rendimento dele pode cair, porque ele não vai receber a quantidade de energia necessária. Talvez você perceba, por exemplo, que a bateria não carregou direito!

Mas podem surgir problemas maiores, como superaquecimento e desgaste da bateria (sabe a famosa “bateria viciada”? É disso que eu tô falando!), especialmente se você usar sempre a fonte errada.

Agora, eu sei que nem sempre dá pra comprar um carregador original pro seu notebook. Afinal, alguns modelos deixam de ser produzidos depois de alguns anos, e notebooks costumam ter uma vida útil mais prolongada que um celular!

Então, se esse for o seu caso, siga a dica de ficar de olho na voltagem, amperagem e potência: a voltagem (V) do carregador tem que ser igual; já a amperagem (A) e a potência (que é a amperagem vezes a voltagem) devem ser iguais ou maiores.

3. Tocar na tela (sem ser touchscreen)

Atualmente, muitos notebooks já têm a tela touchscreen, ou seja, sensível ao toque. É, a grosso modo, o mesmo tipo de tela que seu celular tem!

Mas, se o seu não conta com essa tecnologia, evite ao máximo tocar a tela. E não é só porque as marcas de dedo deixam ele sujo e feio, mas porque podem estragá-la!

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri está sentada em um sofá com manta de listras brancas e pretas. Ao fundo, elementos adesivos brancos e pretos que remetem ao universo financeiro. Com as mãos levantadas, Nath diz “PRESTA ATENÇÃO”

A tela do notebook é basicamente feita de micro cristais presos entre dois vidros. Quando passa uma corrente elétrica, esses cristais se arranjam pra mostrar as imagens que você vê no computador.

No entanto, quando você toca uma tela que não foi feita pra isso, esses cristais se movem, se agrupam do jeito errado e podem até ficar permanentemente danificados. E isso estraga a sua tela!

Normalmente, isso acontece quando você aperta com força ou pressiona a tela. Mas pensa aqui comigo: pode acontecer de você ter colocado a mão suja na tela e fazer um pouco mais de força pra limpar com um pano, por exemplo. Pronto: você já forçou a tela de um jeito que não deveria.

E sabe quanto custa uma tela nova pro seu notebook? Depende do modelo, do lugar onde você mora, e até se é possível fazer essa troca. Mas o preço inicial desse reparo é uns 350 reais.

Bem melhor manter os dedos longe dela, né?

4. Manter ele sempre conectado na tomada

O notebook é um dispositivo que não foi feito pra ficar o tempo todo na tomada. E o problema de mantê-lo sempre na tomada tem a ver justamente com a bateria!

E, não, não é sobrecarga. Em primeiro lugar, porque a bateria também tem a função de filtrar a energia no caso de sobrecarga, pra não danificar o notebook. Além disso, hoje a maior parte corta o fornecimento de energia quando o carregamento chega em 100%. Ou seja, com isso, você não precisa se preocupar!

O problema aqui é a vida útil da bateria. Então, pense nela como um elástico. Você já encontrou um elástico velho perdido em alguma gaveta na sua casa? Ele provavelmente não era… tão elástico, certo?

A mesma coisa acontece com a bateria do seu notebook. Ao deixá-lo sempre conectado na tomada, é como se você deixasse a bateria parada igual ao elástico que você esqueceu numa gaveta: ela começa a perder a “elasticidade”, ou seja, vai perdendo a capacidade aos poucos.

E como contornar isso? Fazendo com que ela se exercite! Isto é, descarregue e recarregue ao menos uma vez por dia. Assim, você pode garantir que a vida útil dela dure bem mais do que não utilizando NUNCA a bateria.

Nathalia Arcuri concentrada, falando pausadamente "simples"

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri concentrada, falando pausadamente “simples”

Agora que você já sabe os 4 maiores erros que as pessoas cometem com o notebook e que faz com que ele estregue mais rápido, me conta nos comentários: tem algum deles que você comece? Ou pior: você estava cometendo algum enquanto lia esse texto?!

Até a próxima, e não esqueça: a cada duas semanas, a minha coluna aqui no blog Me Poupe! traz dicas pra você não perder dinheiro usando tecnologia do jeito errado. Até lá!