O que dizer desse Pix que nem chegou e a gente já considera pacas?? Afinal, com o novo meio de pagamento do Banco Central, vai dar pra fazer transferências pra contas de outros bancos na hora, e sem pagar nada! Mas, por ser totalmente digital, muita gente se pergunta se o Pix é seguro…

Por Fernando Jobs

E, nessa quinzena, a coluna #TechDicas vem te ajudar a entender exatamente isso! Afinal, o Banco Central estabeleceu protocolos de segurança que DEVEM ser seguidos por todos os bancos que vão oferecer essa opção de pagamento (que são praticamente todos os bancos!).

E, por mais que eu fique lisonjeado de você confiar na minha palavra, Me Poupeira e Me Poupeiro, eu vou te contar como é essa segurança. Além disso, como todo cuidado é pouco, também vou te dar dicas pra não cair em golpes com o Pix!

O Pix é seguro? Sim!

Pra começo de conversa, é importante você saber que transações como TED ou DOC também são feitas digitalmente! Ou você acha que, ao fazer uma transferência dessa, vai uma pessoa lá levar o dinheiro de um banco pro outro e é por isso que demora mais?

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri fazendo uma careta

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri fazendo uma careta

Não, não; é tudo digital! E, por isso, o Sistema Financeiro Nacional já tem protocolos que garantem que todas essas transações são feitas com total segurança. E, caso você não saiba, o sistema bancário do Brasil é um dos mais seguros do mundo!

Mas, além desses protocolos, para disponibilizar o Pix, os bancos precisam adotar ainda outras camadas, como a assinatura digital e os certificados digitais, além da criptografia e a autenticação em duas etapas!

“Ih, Jobs, agora complicou…”

Criptografia? Autenticação?? QUÊ?!

Calma, que eu tô aqui pra te contar de um jeito beeeem simples! Como a criptografia e a autenticação em duas etapas têm mais a ver com o usuário final, ou seja, com VOCÊ, que vai fazer e receber transferências pelo Pix, vou explicar elas duas.

Começando pela criptografia! Quando uma informação está criptografada, é como se ela estivesse sendo transportada em um cofre. Então, só quem tem o segredo desse cofre pode abrir. Ou seja, só quem colocou a informação lá dentro e quem vai recebê-la têm como fazer isso!

Nathalia Arcuri tocando na cabeça, com cara de "entendeu?"

PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri tocando na cabeça, com cara de “entendeu?”

Agora, pense que essa informação é uma transferência de dinheiro. A criptografia impede que alguém chegue no meio dessa transação, saiba o que está sendo levado e roube ou desvie o conteúdo. Afinal, essa pessoa não tem a chave pra abrir o tal do cofre! Entendeu?

A criptografia é tão utilizada hoje em dia em segurança digital que até no WhatsApp ela existe! Já reparou, quando você vai começar uma conversa, que aparece uma mensagem falando que as mensagens são criptografadas? Isso quer dizer que só você e a pessoa que vai receber sua mensagem poderão ver; qualquer pessoa que tentar interceptar no meio do caminho não vai conseguir quebrar o código.

E a autenticação em duas etapas, como funciona?

Você talvez até já use isso em alguma rede social, por exemplo. E, se não usa, eu recomendo que comece a usar!

Com a autenticação em duas etapas, você, depois de colocar sua senha, precisa passar por uma segunda autenticação. Por exemplo, se você tem a autenticação em duas etapas no Instagram, você recebe um SMS com um código depois de colocar sua senha. Então, é só inserir esse código e pronto, acesso concedido!

Pra mandar dinheiro pelo Pix, vai acontecer a mesma coisa! Você vai precisar fazer uma segunda autenticação no próprio aplicativo do banco. Por exemplo, pode ser digitando a senha do seu cartão ou usando a biometria, se seu celular tiver esse recurso.

Parece familiar esse procedimento? É porque vários bancos já usam esse tipo de autenticação de segurança.

Ou seja, o Pix vai, a princípio, aproveitar as ferramentas que já são usadas pra garantir a segurança digital das transações! Portanto, se você já confia no aplicativo do seu banco pra fazer um TED ou um DOC, pode confiar que o Pix é seguro também.

Mas todo cuidado é pouco

Então, quanto à segurança tecnológica, é BEM difícil de ter algum tipo de problema. Mas isso não quer dizer que você esteja totalmente em segurança pra fazer seus Pix, Me Poupeira e Me Poupeiro! Afinal, existe uma peça muito importante nessa equação: a peça que CAI em golpes.

Isso mesmo: VOCÊ!

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri apontando para a tela com a Margarete e falando “duvida?”

“EU????Tá doido, Jobs???”

Calma, Me Poupeira e Me Poupeiro! Quem aplica esse tipo de golpe é muito esperto e faz de tudo pra te enganar: de criar sites falsos que parecem MUITO com os verdadeiros a entender o seu comportamento pra você cair na ladainha deles. Ou seja, se eles não conseguem burlar a segurança do sistema, vão dar um jeito de te enganar pra que você entregue seus dados de mão beijada!

E esses tipos de golpes ficam ainda mais fortes quando se trata de uma coisa nova, como o Pix. Afinal, as pessoas ainda estão aprendendo como funciona!

Por isso, é MUITO importante redobrar a atenção pra não clicar em links falsos e fornecer seus dados pra pessoas que querem que essas transferências gratuitas caiam imediatamente na conta bancária deles! E é claro que eu vou te ajudar a se proteger.

Se liga nessas dicas:

  • Desconfie! Recebeu um email que parece MUITO com o email do seu banco te falando pra clicar num link e fazer seu cadastro no Pix? Ou um SMS falando que sua chave não foi cadastrada, apesar de você já ter cadastrado? Não clique em nada!! É melhor ser desconfiada e desconfiado demais nessas horas do que ter uma dor de cabeça depois.
  • Não baixe nenhum novo aplicativo. O cadastro das chaves no Pix e as transferências são feitos pelo próprio aplicativo ou site do seu banco. Não precisa baixar NADA de novo pra usar!
  • Cadastre sua chave Pix diretamente no aplicativo ou site do banco. Já que tem tanto golpista agindo por email, SMS e até WhatsApp, é melhor não clicar em nada e fazer o cadastro das chaves diretamente no app ou no site do seu banco.
Nathalia Arcuri concentrada, falando pausadamente "simples"

#PRATODOSVEREM: Nathalia Arcuri concentrada, falando pausadamente “simples”

Muito simples, né, Me Poupeira e Me Poupeiro?!

Agora que você já viu como é a feita a segurança das transferências pelo Pix e até sabe como se proteger de golpes que vão tentar te engambelar, me conta nos comentários o que você acha dessa novidade! Você pretende começar a usar o Pix assim que ele estiver disponível, no dia 16 de novembro?

Ah! Também manda esse post no grupo da família pra todo mundo ver como o Pix é seguro! Afinal, dica boa é dica compartilhada.

Até a próxima, e lembre-se: prevenir é melhor que remediar!