Você consegue lembrar de quando soube o que era dinheiro pela primeira vez? Ou do primeiro contato com ele? Buscar por essa lembrança lá no fundo da cachola pode ser uma tarefa difícil, mas como nada impede vocês, Me Poupeiros!, recebemos vários relatos pra compartilhar por aqui! 

AH, QUE FESTA DO “DE FRENTE COM O(A) ME POUPEIRO(A)”!

Por Me Poupe! 

Estamos cheios de dúvidas! Já perguntamos pra vocês de que situação foram salvos pelo dinheiro e, também, em que fria se meteram por causa dele. Dessa vez, a pergunta é “Qual é a primeira lembrança que você tem de dinheiro?”. Bora conferir as respostas!

#1 A instituição “avós dando dinheiro escondido”, segue inabalada:

“Quando eu era criança, quase todos os dias meu avô dava uma moedinha e dizia pra colocar no cofrinho. Em datas comemorativas, ele dava 2 reais pra mim e pra minha irmã e depois, escondido, me dava mais 5 reais: ‘como você é mais velha, vou te dar um pouquinho a mais, mas não conta pra sua irmã.’– Thais


Alô, irmã da Thais, queremos fazer uma denúncia… 🤭 

#2 Signo em “fome” e ascendente em “de lanches”

“Minha primeira lembrança do dinheiro é a de ter juntado todas as moedas perdidas pela casa pra comprar um ‘McLanche Feliz’. Depois que comprei o lanche, fiquei triste porque não tinha mais o dinheiro” – Ana Lú 

🍔🍔🍔 = 💸 💸 💸

#3 Que orgulho desses pequenos empreendedores 

Amanda, rumo ao Oscar:

“Lembro de, aos 4 anos, fazer uma peça de teatro com meus irmãos e cobrar 10 centavos por ingresso.” – Amanda

Jack, o negociador gamer:

“Minha memória é de quando eu tinha 15/16 anos e queria um computador gamer que não podia pagar. Passei o ano engajado em chegar ao valor. Consegui o suficiente pra comprar o computador e ainda negociei os componentes, que saíram de graça, depois de horas de conversa com o vendedor.” – Jack

Thaís, aproveitando as tendências e expandindo os negócios:

“Mais ou menos aos 9 anos, uma professora começou a dar figurinhas e, como virou uma febre, comecei a vender. Depois passei a vender pulseiras, colares, brincos. Comprei um telefone de presente pra minha mãe, uma bateria pra mim e ainda tenho parte desse dinheiro guardado.” – Thaís


# 4 Nem sempre as lembranças são boas

“A lembrança que tenho não é boa. O lema em casa era que pra ter dinheiro é preciso trabalhar noite e dia, que o dinheiro não traz felicidade, que quem tem muito dinheiro ‘roubou ou teve alguma vantagem’ e por aí vai.” – Douglas 

“Minha lembrança é mais da falta dele. No ensino médio, vi muitos colegas usando coisas que eu não podia ter. Por conta disso, jurei que não iria depender de ninguém pra ter o que quisesse. Aos 16 anos comecei a fazer unhas, vender algumas coisas e hoje ensino o meu filho a lidar com o dinheiro da melhor forma possível” – Idelis 

“Comecei a trabalhar aos 10 anos no carrinho de praia do meu pai. Todos os dias eu ganhava algo em torno de 50/70 reais, mas nunca pensei em poupar porque sabia que no dia seguinte iria ganhar de novo. Hoje, sinto dificuldade para poupar dinheiro.” – Nathaly 

Você percebeu que, o que diferencia as histórias positivas das negativas, é a educação financeira, não é mesmo? Quanto mais cedo aprendemos a lidar com o dinheiro de forma saudável, mais próximos ficamos de conquistar nossas metas e abandonar pensamentos de escassez, que não contribuem para nosso crescimento de forma alguma. 

E já que você fez um esforço pra relembrar sua primeira experiência com o dinheiro, ficam aqui duas dicas pra você também focar e lembrar sempre: o dinheiro serve pra servir – sem metas definidas pro seu dinheiro, você provavelmente não vai enriquecer – e o conhecimento é libertador e o caminho pra uma vida financeira saudável. 

Queremos agradecer a TODOS que mandaram seus relatos. Na próxima semana, tem mais! Ah, e confira o que os influs que já passaram por aqui, responderam pra essa mesma pergunta! Só clicar aqui: [email protected] do Dinheiro.

(Alguns depoimentos foram editados por questões de clareza e/ou tamanho).