Imprevistos sempre podem acontecer e ter uma reserva de emergência faz com que você passe por essas situações inesperadas com mais tranquilidade e sem dar margem pras dívidas! Vamos começar 2022 com planejamento e riqueza? Vem comigo que te ensino a montar sua reserva de emergência!

Por Margarete! 

Seu carro quebrou, um cano da sua casa estourou, alguém da sua família ficou doente ou você precisou fazer uma viagem de última hora!? Para não surtar nesses momentos ou gastar mais do que tem, você PRECISA saber o que é reserva de emergência.

Por mais que eu deseje sempre o melhor pra vocês, Me Poupeiras! e Me Poupeiros!, não dá pra ignorar o fato de que  estamos sempre sujeitos a lidar com imprevistos. E é justamente por isso que você precisa saber o que é e como investir o seu dinheiro em uma reserva de emergência.

Antes de mais nada, o que é uma Reserva de Emergência?

Bom, se você caiu aqui de paraquedas e não faz ideia do que eu tô falando. CALMA! A reserva de emergência nada mais é do que um dinheiro que você investe para usar quando ocorre algo inesperado. Esse valor deve corresponder a, no mínimo, seis meses do seu CUSTO DE VIDA mensal. 

#PRATODOSVEREM: Nath, sentada no sofá, segurando uma nota de 100 reais, arruma o cabelo e, enquanto olha para a câmera, diz “Não sei se te contaram”.

Sendo assim, se você gasta R$2.000,00 todos os meses para pagar as suas contas e se alimentar, a sua reserva deve ser de, pelo menos, R$12.000,00.

Todo mundo deve ter uma, afinal, todas as pessoas estão sujeitas a viver um imprevisto. Por isso, quero te dar dicas práticas de como montar a reserva de emergência.

EPA, EPA, EPA! VEJO UMA VÁLVULA DE PRESSÃO APITANDO AQUI

Antes de mostrar como juntar esse dinheiro, quero deixar claro que você o que NÃO FAZER com a sua reserva de emergência:

  • Comprar blusinhas;
  • Gastar com delivery;
  • Comprar presentes;
  • Viajar;
  • Pagar cursos;
  • Jogar na Mega da Virada;
  • Turbinar seu kit de colheres de cozinha (eu sei, é tentador 😜);
  • Trocar de carro.

Se você quer comprar itens como os citados acima, volte duas casas e confira o post que eu falei só sobre planejamento de metas, metinhas e metonas! Isso porque você pode programar e planejar essas compras, ou seja, você não deve (e não vai) usar o dinheiro poupado pra imprevistos em algo completamente previsível. 

A reserva de emergência cabe bem pra situações como:

  • Um reparo no carro;
  • Um tratamento dentário inesperado;
  • Um vazamento no registro do banheiro;
  • O conserto de liquidificador queimado;
  • Um celular roubado;
  • Tratamento médico.

Além desses infortúnios, é muito importante ter dinheiro guardado para o caso de você ficar desempregado – sim, é triste pensar, mas o pior dos cenários pode vir a acontecer! Portanto, com uma reserva você garante o pagamento das suas contas  enquanto procura um novo emprego.

Afinal, se você tiver que pegar dinheiro emprestado com o banco para pagar essas contas, você terá que pagar juros muito altos, o que vai deixar a sua situação financeira ainda mais complicada.

Como montar a sua reserva de emergência

Agora que você já sabe a importância de ter uma reserva de emergência, vamos mostrar como você pode montar a sua em 12 meses.

Primeiro, você deve saber exatamente o quanto você ganha por mês (já descontando os impostos). Em seguida, você vai precisar fazer um levantamento de todos os seus gastos. Para isso, o ideal é que você faça uma planilha e coloque lá tudo o que você paga por mês, como:

  • Aluguel ou prestação do imóvel;
  • Condomínio;
  • Conta de luz;
  • Conta de gás;
  • Alimentação;
  • Transporte;
  • Internet;
  • Saúde;
  • Educação;
  • Lazer.

Quando você tiver feito todo esse levantamento, você saberá se gasta menos ou mais do que ganha.

O ideal é que 55% da sua renda seja destinada para as despesas essenciais (como moradia, alimentação e transporte), 5% do que você ganha deve ir pra educação e 10% pode ser gasto com lazer (cinema, restaurantes, viagens), doação ou qualquer gasto “supérfluo” Já 30% da sua renda deve ser destinada para investimentos, podemos colocar aqui a reserva de emergência.

A Nath sempre diz e eu vou repetir: caso você tenha percebido que você gasta tudo, ou mais, do que ganha em um mês, você PRECISA rever os seus gastos e começar a se mexer pra mudar esse cenário!

Vamos à prática então?

Com o seu levantamento de ganhos e gastos na ponta do lápis (ou da planilha), chegou a hora de determinar o valor ideal que você vai investir todos os meses pra formar sua reserva de emergência. O ideal, como falamos acima, é destinar 30% da sua renda mensal para isso. 

Assim, se você tem um custo de vida de R$2.000,00, precisará juntar 6x esse valor pra ter sua reserva completa, ou seja, um montante de R$12.000!

Isso significa que para montar a sua reserva nos próximos 12 meses, você precisará dispor de R$1.000 por mês pra esse fim.  

Mas você pode falar: “Margarete, não dá! Ainda não consigo guardar tudo isso”. Sendo assim, comece com menos e, com a prática, vá aumentando o valor e compensando os meses de menor investimento.

Ah, e lembre-se que, se bem aplicado, esse investimento ainda trará bons lucros pra você!

AH QUE FESTA DO CONTRATEMPO RESOLVIDO!

Quer minha última e generosa colherada? Então, segura aí!

Se você ainda não se cadastrou pra receber o nosso MAIOR E MELHOR presente de fim de ano, esse é o momento! Acesse e descole o seu presente – spoiler: ele vai ser seu parceiro no planejamento da reserva de emergência!